Prado - Espaço Ruminante | Historial

Em 2001 o percurso individual e artístico de Patrícia Portela cruzou-se com os elementos fulcrais da actual Prado e em conjunto edificaram um espaço multidisciplinar de reflexão sobre as artes performativas.
Resultantes desta viragem foram Wasteband (2003), apoiado pelo MC/IA e inserido na programação satélite da Experimenta Design, alvo de uma Menção Honrosa Prémio ACARTE 2003; e Flatland, (Prémio ACARTE 2004 e Menção Honrosa da Associação de Críticos Portugueses) onde se deu início à colaboração com os Irmã Lúcia efeitos especiais, com o director de fotografia Leonardo Simões e com um grupo cada vez mais alargado de artistas e centros culturais.
Era chegado o momento de criar uma plataforma legal que potencializasse todos os projectos em curso e promovesse a existência de outros: a Associação Cultural Prado - uma entidade de carácter associativo e colectivo, sem fins lucrativos, nasceu em 2005 com o objectivo maior de estabelecer pontes entre as mais diversas formas de criação artística, aproximar teoria e prática e potenciar o carácter interventivo da arte. Desde então a Prado tem criado condições para que as suas colaborações e intercâmbios entre os criadores envolvidos se realizem o melhor possível.
Nestes 5 anos de existência foram produzidos 11 espectáculos, 12 conferências sobre “As vanguardas” (mensalmente, no teatro S. Luiz, 05/06), diversas residências em Portugal e no estrangeiro, participámos em diversos encontros, espaços de discussão e debate, workshops, intercâmbios, para além da realização de uma vasta itinerância de todos os espectáculos realizados desde 2003 (não só a nível nacional como por sítios tão diversos como Rússia, Bélgica, França, Holanda, Alemanha, Aústria, França, Palestina, Brasil ou Noruega). Os espectáculos de Patrícia Portela têm sido aclamados nacional e internacionalmente (“Flatland” foi considerado um dos melhores espectáculos do ano por vários críticos portugueses e estrangeiros; o “Banquete” foi considerado um dos melhores 10 espectáculos de 2007 na imprensa Belga – flamenga e francesa). Os textos de “Odília” e “Flatland” deram origem de 2 livros (Odília ou a história das musas confusas no cérebro de Patrícia Portela e Para Cima e Não Para Norte) publicados na Editorial Caminho.
Em 2009 estreou Audiomenus, em Junho no Maria Matos, e que tem assegurada circulação nacional até Junho de 2010. Em  Novembro, outros Audiomenus integraram o Fstival Temp's dÍmage com a proposta de Acácio Nobre com um percurso pelo Chiado do início do século XX. Em Dezembro estreou "O Jogo das Perguntas" no Teatro Viriato em Viseu. 
Em 2010 a presença no alkantara festival traduziu-se na Autorádio alkantara que emitiu durante os 20 dias do festival emissões originais diárias e em 7 sessões de Amigos Coloridos. Organizamos também um dia de programação no Pavilhão do conhecimento e produzimos "A colecção privada de Acácio Nobre".